Megaflash Transportes – São José dos Campos

Modal Ferroviário – A solução para o transporte em um país continental.

As linhas férreas tem sido fundamentais na história da humanidade, hoje as tradicionais locomotivas tem um papel fundamental na logística de todo o mundo, esse tipo de modal permite o deslocamento de grandes quantidades de carga por longas distancias terrestres a um custo muito baixo, com tantos benefícios? Porque o Brasil tem uma das piores malhas ferroviárias dos países com esse tamanho continental.



De acordo com o Anuário Estatístico de Transportes de 2017, o Brasil possui 29,6 mil km de estradas de ferro, distribuídos em 32 estradas diversas sob a responsabilidade de 13 concessionárias. A rede ferroviária é responsável por 21% do transporte de mercadoria realizado no país, sendo que este modal é majoritariamente utilizado para transporte de commodities.

O rodoviarismo enquanto política de Estado teve origem com o ex-presidente Washington Luis, que discursou ainda como governador de São Paulo em 1920 a célebre frase “Governar é povoar; mas, não se povoa sem se abrir estradas, e de todas as espécies; governar é, pois, fazer estradas”! Contudo, foi durante a presidência de Juscelino Kubitschek, ao final da década de 1950, que o rodoviarismo foi implementado de maneira contundente. Ampliar a malha rodoviária poderia atrair empresas internacionais do ramo automobilístico. De acordo com a Teoria dos Polos Econômicos, a participação de um tipo de indústria como a de automóveis permite efeitos de escala ou de arraste, por atrair empresas correlatas ao ramo central; no caso dos automóveis, empresas de autopeças, componentes elétricos, lubrificantes etc. Em nome dessa estratégia de atração de capitais e geração de empregos, as ferrovias, que tiveram maior importância durante o período do ciclo do café, foram sucateadas e desprezadas em favor do rodoviarismo. Essa estratégia demostrou-se eficaz e representou um percentual significativo do PIB do país.

Hoje as principais dificuldades enfrentadas são:

Cobertura Nacional ou Quase
: Teoricamente a malha ferroviária brasileira percorre todos os estados, porem muitos trilhos possuem padrões distintos oque acarreta na necessidade de transbordo entre diferentes locomotivas, se comparado a outros países de território semelhante a diferença é gritante:

Malha ferroviária EUA e Brasil: Entenda as diferenças - MASSA

Malha Ferroviária Sucateada – Grande parte das concessões para privatização da malha são oriundas da década de 70, as ferrovias estão em péssimo estado assim como seus trens.

Falta de padronização de trilhos – Os trilhos utilizados nos modais nacionais são arcaicos e simplórios, não comportando locomotivas mais modernas e impossibilitando trens e vagão de trafegarem em ferrovias de países do Mercosul.





megaflashtransportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post comment

Open chat